segunda-feira, 9 de março de 2015

Autor do mês - março




Pesquisem e digam-me vocês quem é a autora deste mês.
(Estou preguiçosa :P)

7 comentários:

Maria Jesus disse...

Muito interessante esta autora. Muito obrigada por nos abrirmos o conhecimento, o interesse para alem do Atlântico e por nos fazer desfrutar com esta senhora.
Deixo-vos o enlace para terem um lamiré do que esta autora exprime na sua escrita.
http://kdfrases.com/autor/clarice-lispector

Encarna S disse...

Há quem diga que Clarice Lispector foi sem dúvida uma mulher à frente de seu tempo!. Foi, antes de qualquer coisa, uma grande mulher!
Mas no entanto, na opinião de muita gente: " ler Clarice não é nada simples, não é para qualquer dia, ou qualquer hora… porque é de uma intensidade cada linha que chega a dar um certo medo de se perder!".

Susana disse...

Gosto de saber que é bom conhecer uma personalidade e, principalmente, uma escrita nova.
Mas ainda ninguém me disse quem é a senhora, estou à espera da vossa contribuição! ;)

Elvira Coronado Corbacho disse...

A minha contribução:

Clarice Lispector foi escritora, jornalista, tradutora. Pertence à terceira fase do modernismo da Geracão do 45 brasileira, considerada como uma das escritoras brasileiras mais importantes do século XX.
De origem judía e naturalizada brasileira em 1937 mudou-se para Rio de Janeiro onde se formou en Dereito. Ainda jovem estreou-se na literatura com o romance "Perto do Coração Salvagem" (1943)e recebeu o Prêmio Graça Aranha.
Començou a colaborar na imprensa em 1942 e ao longo de toda a vida nunca se desvincilou totalmente do jornalismo. Trabalhou na Agência Nacional e nos jornais A Noite. Foi colunista do Correio da Manhã e realizou diversas entrevistas para a Revista Manchete. Foi cronista do Jornal de Brasil.
Entre as suas obras mais importantes estão a reunião de contos em "A legião Estrangeira" (1964) "Laços de Família" (1972) os romances "A Paixão Segundo G.H. (1964) e "A Hora da Estrela" (1977).
Em 1944, recém casada com um diplomata, viojou para Nápoles, onde serviu num hospital durante os últimos meses da Segunda Guerra Mundial. Depois de uma longa estada na Suiça e Estados Unidos, voltou a morar no Rio de Janeiro, onde morreu.
Como tradutora que foi, sabia falar pelo mesnos sete idiomas, português, inglés francês e espanhol fluentemente, (dos outros não me lembro)

Ainda que tenha muitas frases, e eu li só algumas,desta gostei nomeadamente y quero partilhar convosco.

"Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento"

juanjo disse...


obrigadíssimo, Elvira...isso é que é um bom trabalho, sim senhora...

Ana B.Molero. 2ºNA disse...

Obrigada colegas e obrigada Susana. Eu não conhecia esta mulher, esta grande mulher :)

Susana disse...

O Juanjo já o disse mas eu reafirmo, grande trabalho Elvira, vou publicá-lo agora mesmo. E muito obrigada. Aos 5 que estão a participar com mais frequência e motivação.